22 julho, 2013

(Entrevista #5) Autor Leo Vieira

Boa noite galera! Como estamos na Semana do Livro Nacional, hoje venho postar mais uma entrevista com um autor nacional, o autor de hoje é Leo Vieira. Quero agradecer a ele pela entrevista cedida ao blog!!!
 Leonardo Vieira Silva (Leo Vieira) é de São Gonçalo, tem 30 anos, é escritor acadêmico, bacharel, mestre e doutor em Teologia. Está coordenando o "I Circuito Cultural Literário" em São Gonçalo-RJ.



Vamos as perguntas:

1- Fale um pouco sobre você:
Obrigado pela Oportunidade, Brenda Ellen. Sou apenas um apreciador da arte e gosto muito de criar coisas. Alguns usam a pintura ou a música, mas eu prefiro inicialmente à escrita. A arte move o mundo,  consegue dar forma, rumo e perspectiva. Vivemos e comungamos com a criação e somos arte do Criador de todas as coisas.

2- Por que decidiu se tornar escritor?
Porque eu sempre gostei de escrever. Já criava roteiros para histórias em quadrinhos (que eu também desenhava) e desenvolvia esquetes para as peças da escola e percebi que isso sempre fazia parte da minha vida. Quando decidi profissionalizar um dos projetos, percebi que o meu traço ainda não estava acadêmico e preferi apresentar a história em um outro formato: o de livro.
Fiquei um bom tempo treinando, lendo e escrevendo, até conseguir transformar a arte desenhada em uma narrativa. Quando me senti pronto, adaptei a história para livro e fui seguindo com várias outras ideias.

3- Desde quando você escreve?
Desde criança. A leitura foi muito frequente e fui praticamente alfabetizado com livros infantis e gibis. Isso me ajudou bastante a desenvolver um senso criativo.
Mas profissionalmente mesmo, foi em 2011 que comecei e em 2012 que comecei a obter reconhecimento.

4- Quais são seus hobbies?                                          
Além de escrever, também gosto de desenhar e de compor. Quando leio ou reviso, os personagens começam a ganhar mais nitidez e tenho logo que passar a imagem deles para o papel. Também começo a ouvir música mental durante a leitura e tenho que passar para um gravador também. Tenho um projeto de adaptar alguns livros infantis para audio books, com ilustrações e música. Quando você gosta do que faz, o divertimento e a disciplina andam juntos.

5- Como é a vida de escritor?
Inicialmente, é muito ingrata. Todos sabemos que no Brasil o escritor não é visto como profissão. Se ele diz isso, muitos dão uma risadinha interna (ou até descarada) e perguntam o que ele realmente faz para ganhar dinheiro e pagar as contas. Infelizmente é verdade. São muito poucos os que realmente podem dizer que vivem do ofício. Mas nem tudo se resume a apenas escrever livros. Um escritor também é roteirista, revisor, programador visual, agente cultural, coordenador literário, bibliotecário, desingner, diagramador, blogueiro, colunista, professor, entre outras coisas. Eu também sou todas essas listadas e ganho dinheiro com algumas delas.

6- Se você fosse um animal, qual animal você seria?
Não sei se os animais têm direito a escolha quando vão nascer, mas se eu fizesse parte do tradicionalismo budista eu queria ser um leopardo, por ser ágil, esperto e um bom caçador.

7- Quando e como teve a ideia de escrever “Alecognição”?
A história já povoava a minha cabeça há muito tempo, mas em forma de gibi.
Transformei em livro por não ter condições para publicar da forma que queria. Mas estou programando uma versão ilustrada, junto com muitas outras novidades.

8- Qual é a coisa mais difícil de escrever?
Fazer o leitor construir a imagem da mesma forma que você quer passar. Nem sempre isso acontece. Por isso, o escritor precisa ser criativo, prático e modesto na narrativa, sem apelar para linguagem rebuscada. Quando a leitura é suave, o leitor é rapidamente conduzido até o final e termina a leitura satisfeito.

9- Em que ou em quem seus personagens são baseados?
Todos os personagens são baseados em pessoas e em situações e isso acontece com a grande maioria dos escritores. Uma conversa em ônibus ou fila de banco, matéria em jornal, uma música ou poesia, enfim, tudo é motivo para construção e desenvolvimento de personagens e sinopses.

10- Qual seu autor favorito?
Atualmente são Machado de Assis, Dan Brown e Khaled Rosseini. Não exatamente pelas suas obras, mas pela forma que eles narram seus romances. São ótimos professores. 

11- Como faz a divulgação do seu trabalho?
Pela internet. Consegui muitos contatos, indicações e referências com boas horas diárias de pesquisas virtuais. Também recebo muitos convites, com propostas literárias e parcerias, mas nem sempre aceito todos. Semanalmente escrevo para o blog do CNA (Clube dos Novos Autores) com dicas sobre empreendedorismo literário.
Em breve, lançarei novos livros, os quais serão divulgados pelas páginas em que eu participo.

12- Para terminar, fale um pouco do seu trabalho!
Além dos livros e blogs, também estou desenvolvendo vários projetos para poder preparar o terreno para meus futuros projetos. Sou membro e colaborador em mais de 30 Academias de Letras e sindicatos literários no país todo.
Meu livro "Alecognição" não tem fins lucrativos e todo o direito autoral é destinado para o patrocínio desses projetos. Está em fase final o "I Circuito Cultural Literário", que será uma imensa feira de livros em São Gonçalo-RJ.
Também estou criando uma editora própria para a publicação dos demais livros (estou com mais de 100 livros prontos) e deixá-los mais acessíveis. O projeto da feira de livros será sequencial e em vários Estados, assim como os selos editoriais em cada Academia. O CNA também terá uma academia de letras para escritores e blogueiros, a qual estou desenvolvendo. Se chamará AVILCNA (Academia Virtual de Letras do Clube dos Novos Autores) e terá cadeiras patromínicas, solenidades e tudo o que tem direito.
Infelizmente, alguns têm confundido o esquema das minhas atividades literárias e ficam pedindo favores ("revisãozinha", "roteirozinho"; tudo no diminutivo) "colaborações", doações de livros (somente faço doação para biblioteca. Blogueiros interessados participam de book tour), etc.
Quando a atividade gratuita é para algum blog ou participação em alguma atividade que não tenha fins lucrativos e ainda me dê oportunidade de divulgação de meu trabalho, eu participo com o maior prazer.
Mas quando é algo para alguém que irá sair ganhando no final (diretor de teatro, produtor de vídeo, desenhista de quadrinhos, etc), eu recuso e descarto gentilmente.
Quero agradecer a oportunidade e ressaltar que estou disponível para o que vocês precisarem. Grande abraço a todos!

Leo Vieira

Vamos conhecer um pouco de "Alecognição":


Sinopse:
Alecognição é um romance de ficção, aventura e suspense, utilizando abordagens sobre manipulação e opressão moral e espiritual, narrando como o mundo é ameaçado através do mercado, política e religião. O romance conta a infância transtornada de Galileo, que sofre influências e perturbações de seus brinquedos, que foram possessos por entidades demoníacas, se passando por amigos imaginários. No decorrer da trama, Galileo aprende através de seus amigos, lições memoráveis como a terapia do perdão, da reconciliação, a persistência, a coragem, como vencer o medo e como desapegar do materialismo e exibicionismo. Também tem revelações importantes sobre administração estratégica, como evoluir no mercado de entretenimento, a arte da propaganda e como conviver bem com a concorrência e conquistar aliados, mesmo que eles sejam inimigos. Um ponto muito especial é a reflexão sobre a importância do emprego e como não esteriotipá-lo como algo enfadonho e estressante.


2 comentários:

  1. O escritor Leo Vieira surpreende sempre.
    Em relação ao animal que ele seria, Leonardo e leopardo até rimam e se parecem.
    Sucesso ao escritor.

    minhassimpressoes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Ah, e a entrevista ficou ótima, parabéns.

    ResponderExcluir

Obrigada por visitar o blog! Deixe seu comentário, saiba que sua opinião é muito importante para nós!!!